Visitante tenta adentrar ao Presídio Estadual de Formosa com celulares escondidos nas partes íntimas

A mulher sob posse dos aparelhos foi conduzida à Delegacia de Polícia da Cidade

146

 

Servidores do Presídio Estadual de Formosa, pertencente à 9ª Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), interceptaram a entrada de dois celulares na unidade, nesta quinta-feira, 06/06. Os eletrônicos estavam escondidos nas partes íntimas de uma visitante que estava no local para visitar seu marido, que cumpre pena na unidade com base no artigo 121 do Código Penal Brasileiro.

De acordo com o diretor do presídio, Herik Lima, os agentes plantonistas realizavam procedimento operacional de revista pessoal, ocasião em que a banqueta detectora de metais emitiu sinais acusando a existência de ilícitos escondidos junto à mulher de 24 anos.

Diante do fato, ao ser indagada, a visitante demonstrou extremo nervosismo e assumiu que os aparelhos seriam entregues a um dos detentos do local. Ela foi conduzida ao local apropriado, preservando seus direitos, e espontaneamente retirou os eletrônicos e os entregou às agentes que a supervisionava.

A direção da unidade imediatamente deu continuidade aos procedimentos operacionais, abriu procedimento administrativo interno para aplicar aos possíveis destinatários das sanções penais cabíveis, em conformidade com a Lei de Execução Penal.

Após registro do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), a visitante está proibida, por tempo indeterminado, de adentrar a unidade.

O rigor nos procedimentos realizados em ambientes prisionais estaduais compõe medidas estabelecidas pelo Governo de Goiás em consonância com as políticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e da DGAP, que buscam aumentar a segurança nos presídios. “A rigidez nos procedimentos e a eficiência nas realizações dos trabalhos dos servidores coíbem a prática de novos crimes, como a entrada de aparelhos celulares ao ambiente carcerário”, afirma Lima.

O diretor ainda ressalta que as prisões e interceptações tem contribuído para a diminuição da prática de crimes como esse, o que configura aumento da segurança na unidade. “Em um curto período já foram contabilizadas 25 apreensões e todas devidamente punidas em conformidade com normativas”, ressalta o diretor.

Fotos: DGAP
Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62) 3201-4726
(62) 99858-4776