Vigilante Penitenciário Temporário rejeita propina oferecida por detento que cumpre pena em Luziânia

Na ocasião, o custodiado ofereceu dinheiro para que o servidor repassasse um aparelho celular e foi autuado por novos crimes

749

Um Vigilante Penitenciário Temporário (VPT), lotado na Penitenciária Masculina de Luziânia, rejeitou propina oferecida por um dos detentos que cumpre pena no presídio por roubo, na manhã desta quarta-feira, 05/02. A ação ocorreu no momento em que o servidor realizava a escolta do custodiado após atendimento com o advogado.

De acordo com a 3ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o custodiado ofereceu um valor em dinheiro para que o servidor, que há nove meses trabalha no sistema prisional goiano, lhe entregasse um aparelho celular.

O servidor,de imediato, informou o fato à direção do presídio. Diante da situação, a direção da unidade abriu procedimento administrativo interno para apuração do fato e conduziu o detento para a Delegacia de Polícia Civil do município onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante. O preso responderá também por ameaça e corrupção.

A ação honrosa do servidor vai ao encontro das diretrizes determinadas pelo Governo de Goiás em consonância com a DGAP para garantir melhorias no sistema prisional com a eficiência e alta competência dos servidores penitenciários.

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62)3201-4726