Vigilante Penitenciário Temporário é flagrado na entrega de drogas para preso da UP de Piracanjuba

O VPT estava sendo monitorado pela direção da unidade. Ato ilícito foi flagrado pelas câmeras do presídio. A prisão foi realizada em parceria com a Polícia Civil, a partir das informações da UP e do serviço de Inteligência Penitenciária

1014

 

Um Vigilante Penitenciário Temporário (VPT) plantonista na Unidade Prisional (UP) de Piracanjuba, pertencente à 4 ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), recebeu voz de prisão, na manhã deste sábado, 05/09. O mandado de prisão, expedido pelo Judiciário em desfavor do servidor, foi cumprido em parceria com a Polícia Civil.

De acordo com o Coordenador Regional, Leopoldo Coelho, a direção do presídio suspeitou de atitudes suspeitas do vigilante, que tem contrato de trabalho há oito meses no sistema prisional goiano. “ Suspeitas que foram confirmadas. A partir daí, solicitamos à Polícia Civil local o início das investigações”, esclarece.

Coelho explica que, por meio do videomonitoramento, foi possivel flagrar o plantonista repassando entorpecentes para um dos presos que realiza a limpeza no presídio. “ A partir do repasse da informação para a Polícia Civil e das investigações, o Judiciário local expediu o mandado de prisão em desfavor do VPT , o qual foi cumprido nesta manhã”, frisa.

Para o Diretor- Geral de Administração Penitenciária, Coronel Urzeda, “o rigor na segurança penitenciária é um dos pilares da administração penitenciária e para a garantia dessa máxima não temos medido esforços. A prisão de servidores e os flagrantes de presos em atitudes ilícitas comprovam os esforços determinados para esta gestão pelo Governo do Estado”, disse.

O Diretor -Geral determinou o distrato imediato do contrato temporário do servidor flagrado. Com cumprimento da prisão, ele já se encontra custodiado na UP de Piracanjuba.

A direção da UP abriu procedimentos administrativos internos para apuração do fato e após averiguações ira aplicar as devidas sanções disciplinares cabíveis em conformidade com a Lei. As investigações sobre o fato ocorrido estão a cargo da Polícia Civil.

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62) 32014627