Servidores evitam a entrada de drogas e celular na Unidade Prisional de Porangatu

Os materiais encontrados estavam com visitantes que tentavam adentrar ao local em dia de visita

151

Servidores da Unidade Prisional (UP) de Porangatu, pertencente à 7 ª Regional Prisional Norte da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), evitaram a entrada de um aparelho celular no presídio, nesta sexta-feira, 12/04. O objeto foi deixado em dia de visita de crianças familiares dos reeducandos do local.

De acordo com o diretor da UP, Tancredo Alves, após a revista infantil, que dura em média 15 minutos, foi realizado o procedimento de revista, ocasião em que foi encontrado o eletrônico colado à perna do reeducando que retornava à cela.

Segundo Alves, a mulher, que aproveitou o momento em que acompanhava sua filha de um ano na visita para repassar o ilícito ao detento, foi encaminhada à delegacia da cidade para as providencias legais.

De imediato, a direção da UP contatou o conselho tutelar para conduzir a criança aos familiares e instaurou procedimento administrativo interno para averiguação do fato ocorrido.

Durante as sextas-feiras, ocorrem visitas só de crianças aos presos familiares. Os encontros são realizados em sala separada, todos são acompanhados dos responsáveis.

Interceptação de drogas

Na quinta-feira, 11/04, servidores plantonistas responsáveis pela segurança na UP também interceptaram a entrada de 138 gramas de maconha e porções de cocaína. Os entorpecentes estavam escondidos nas partes íntimas da visitante que tentava adentrar ao presídio em dia de visita dos familiares aos detentos do local.

De acordo com o diretor regional interino, Anderson Souza, a partir das diretrizes governamentais instituídas que visam melhor eficiência e cumprimento dos labores realizados na unidade, foi possível intensificar o rigor realizado durante acesso de visitantes na UP. “Após o serviço de inteligência da Polícia Militar avisar a direção do presídio que uma mulher tentaria adentrar a unidade portando entorpecentes, foi possível evitar a entrada da droga”, ressaltou Souza.

Ao chegar na unidade e antes de passar pela revista pessoal, os agentes de segurança questionaram a mulher sobre a presença do ilícito, momento em que a visitante confessou estar portando os entorpecentes.

As rigorosas revistas realizadas pelos agentes da unidade demonstram o rigor no cumprimento das medidas estabelecidas por diretrizes instituídas pelo governador Ronaldo Caiado em consonância com as políticas estabelecidas pela Secretaria de Segurança Pública e a DGAP.

A direção da unidade, que conduziu a mulher à delegacia do município, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante, com base na lei 11.343 de 2006, colocou os materiais encontrados à disposição das autoridades competentes para as devidas providências.

Fotos: DGAP

 

Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62) 3201-4726
(62) 99858-4776