Operação Atena resulta em intervenções táticas em nove unidades prisionais, nesse final de semana

Policiais penais fizeram revista estrutural nas celas dos presídios de Itumbiara, Anicuns, Mineiros, Porangatu, Inhumas, POG, CPP de Formosa e penitenciárias femininas de Corumbaíba e Luziânia

182

Deflagrada no dia 01º de outubro, a Operação Atena resultou na intervenção tática em mais nove unidades prisionais de Goiás, entre os dias 08 e 10 de outubro. Com investimento de R$ 700 mil em logística e reforço do efetivo, a operação já é considerada a maior realizada no sistema penitenciário goiano. Ao todo, já foram realizadas revistas estruturais em 18 unidades prisionais.

Nesse final de semana, a operação aconteceu nas unidades prisionais de Itumbiara, Anicuns, Mineiros, Porangatu, Inhumas, Penitenciária Odenir Guimarães (POG), Casa de Prisão Provisória (CPP) de Formosa e penitenciárias femininas de Corumbaíba e Luziânia. Os policiais encontraram materiais ilícitos em quatro das nove unidades prisionais revistadas.

Na Unidade Prisional Regional (UPR) de Mineiros, foram apreendidos 27 celulares, 16 carregadores e vários materiais proibidos. Já na Ala A da POG, os policiais penais encontraram 12 celulares, dois carregadores, três fones de ouvido, duas baterias, 13 facas e um martelo. Na UPR de Inhumas, eles interceptaram três celulares, dois carregadores, um chip e um fone de ouvido; e na CPP de Formosa, apenas um chip de celular foi apreendido.

Para o superintendente de Segurança Penitenciária, Leopoldo de Castro, as intervenções realizadas neste final de semana foram positivas. “O fato de não encontrarmos ilícitos em cinco unidades prisionais demonstra que os procedimentos operacionais estão surtindo resultados. E vamos intensificar nossas ações de segurança e fiscalização nos presídios onde foram apreendidos materiais proibidos,” disse.

A Operação Atena é realiza por policiais penais e servidores penitenciários das unidades prisionais, com suporte dos grupos especializados da Polícia Penal de Goiás, como o Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (GOPE) e os Grupos de Intervenção Tática (GIT) de todas as regionais prisionais do Estado. A expectativa é que a operação aconteça até o final deste ano e contemple todos os estabelecimentos penitenciários de Goiás.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária – DGAP
Comunicação Setorial