Forças de segurança de Goiás fazem maior varredura preventiva já realizada na Penitenciária Odenir Guimarães

Todas as 420 celas da unidade foram revistadas

747

 

 

Mais de 200 telefones celulares, além de carregadores, chips de telefonia móvel, armas brancas, um roteador de internet e drogas foram apreendidos nesta terça-feira (08/10), na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Trata-se da maior varredura preventiva já realizada na história do presídio. A última feita no local foi realizada há dois anos em reação a um motim iniciado num dos pavilhões da penitenciária. A foi operação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). No total, foram vistoriadas todas as 420 celas de oito alas.

Cerca de 400 servidores da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), polícias Civil e Militar, Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), Corpo de Bombeiros e Polícia Rodoviária Federal (PRF) participaram da ação integrada. Todos os objetos apreendidos foram catalogados com os números das celas onde foram encontrados.

O secretário de Segurança Pública Rodney Miranda acompanhou toda a operação. Segundo ele, um dos principais objetivos é aumentar ainda mais o controle do sistema penitenciário goiano. “Fizemos uma varredura completa. Todo o trabalho realizado é fruto de um planejamento minucioso que vai contribuir para reforçar a segurança do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Todos os objetos terão sua origem apurada pelo nosso serviço de inteligência. Queremos saber como eles entraram lá. Se for comprovada qualquer participação de agentes públicos, vamos trabalhar para que sejam responsabilizados”, afirmou.

De acordo com o titular da SSP, sempre que for necessário, operações neste sentido serão realizadas dentro dos presídios goianos. “Vamos continuar atuando com muito rigor também dentro das unidades prisionais para evitar que ações criminosas sejam ordenadas de lá de dentro”, garantiu.

Rodney Miranda também reiterou que já está em andamento um planejamento para ampliar o número de vagas e melhorar a estrutura física da unidade. “Estamos trabalhando de forma conjunta com o Judiciário e o Ministério Público para melhorar nossa estrutura e garantir que a segurança nos presídios seja cada dia maior. O fortalecimento do sistema prisional é uma das principais determinações do governador Ronaldo Caiado”, arrematou.

Segundo o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Wellington Urzêda, além de permitir um controle mais rígido da Penitenciária Odenir Guimarães, a operação também deve refletir na segurança nas ruas. “Essa operação impede que os detentos tenham acesso à comunicação com o lado de fora. Isso é fundamental para que possíveis ocorrências criminais sejam evitadas. Tenho certeza que a ação vai contribuir com reduções ainda mais expressivas dos indicadores criminais”, explicou.

Desde o início de 2019, o Governo de Goiás, por meio da SSP e da DGAP, realizou diversas medidas para garantir o controle efetivo das unidades prisionais do Estado. Em setembro, cerca de 200 detentos de alta periculosidade que estavam custodiados no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e nas unidades de Anápolis e Formosa foram transferidos para a Unidade Prisional Especial de Planaltina de Goiás. O local, inaugurado na atual gestão, conta com os mais modernos equipamentos de segurança.