Detentas da UPR feminina de Serranópolis começam a produção de blocos de cimento no presídio

A previsão é que sejam produzidos 500 blocos por dia. Eles serão utilizados no calçamento das ruas e pavimentação asfáltica da cidade.

320

Custodiadas da Unidade Prisional Regional (UPR) Feminina de Serranópolis, pertencente à 6ª Coordenação Regional Prisional da Polícia Penal de Goiás, começaram a produzir blocos de cimento na unidade. O trabalho teve início neste mês e faz parte da política de Estado para a ressocialização de presos em Goiás. A expectativa é que elas consigam produzir 500 peças diariamente.

De acordo com o diretor da unidade, Sueide Nascimento, 12 detentas foram treinadas para realizar a produção dos blocos de cimento. Elas trabalham divididas em dois turnos e serão beneficiadas com a remição da pena, em conformidade com a Lei de Execução Penal. Para cada três dias trabalhados, as presas terão um dia diminuído no cumprimento de pena.

O projeto é uma parceria da Polícia Penal de Goiás com a Prefeitura da cidade, o Ministério Público e o Poder Judiciário. “Toda matéria prima, como cimento, areia, brita e óleo diesel, será fornecida pela Prefeitura”, conta Sueide. “Os blocos produzidos na unidade serão utilizados no calçamento de ruas e pavimentação asfáltica da cidade”.

A produção dos blocos de cimento na UPR feminina de Serranópolis segue as diretrizes do programa de ressocialização de presos desenvolvido pela Polícia Penal em atendimento à política penitenciária do Governo de Goiás e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para qualificação e profissionalização de custodiados.

Polícia Penal Goiás
Comunicação Setorial
Instagram: @policialpenalgo.oficial e @dgapgoias
Youtube: Polícia Penal Goiás Oficial
Facebook: @dgapgoias
Twitter: @PoliciapenalGo e @dgapgoias