COVID- 19 – DGAP utiliza termômetros infravermelhos para medição de temperatura corporal em servidores e população carcerária

Os termômetros estão sendo utilizados na estratégia estabelecida pelo órgão de testagem de rastreio e busca ativa de infectados assintomáticos. Quase 100 equipamentos já foram adquiridos e a distribuição para unidades prisionais e setores administrativos do órgão teve início há um mês

185

A Diretoria – Geral de Administração Penitenciária (DGAP), por meio do Comitê de Gerenciamento de Crise no enfrentamento contra a Covid-19 no sistema penitenciário goiano, deu início ao aferimento de temperaturas em servidores e população carcerária, por meio de termômetros infravermelhos em distribuição, há um mês, para unidades prisionais do Estado e setores administrativos do órgão, com o objetivo de aferição de temperatura corporal de servidores e população carcerária.

Já foram adquiridos 94 itens do equipamento, sendo 75 custeados pela DGAP, com investimento público de R$ 17.160,00, e o restante obtido por meio de parcerias com os conselhos da Comunidade em Execução Penal das cidades de Rio Verde, Aparecida de Goiânia, Luziânia, Caldas Novas e Planaltina de Goiás. Os termômetros estão sendo importantes para a estratégia adotada pela instituição de testagem de rastreio e busca ativa de infectados assintomáticos e a aquisição dos equipamentos compõem as ações do órgão para o combate, controle e prevenção da doença no sistema penitenciário goiano.

De acordo com o líder situacional do Comitê e Gerente de Segurança Penitenciária e Monitoramento Eletrônico, Alex Galdioli, a distribuição dos termômetros já foi realizada para 65 unidades prisionais nas nove coordenações regionais prisionais da DGAP e o restante já está à disposição para retirada no setor de almoxarifado do órgão. Uma planilha de distribuição foi elaborada para melhor planejamento da ação. “A aferição da temperatura é uma das principais ações de prevenção e controle do coronavírus, instituídas pela DGAP, por ser a febre um indicador de possível suspeito da doença entre servidores e presos. Dessa maneira, a busca ativa favorece maior eficiência na prevenção e na imediata tomada de providências para os casos que apresentarem febre”, explica Galdioli.

Os termômetros estão sendo utilizados por profissionais de saúde que trabalham nas unidades prisionais, sendo eles os responsáveis por aferir as temperaturas nos públicos alvos. De acordo com o Diretor-Geral de Administração Penitenciária, coronel Agnaldo Augusto da Cruz, a instituição tem se esforçado para o cumprimento das determinações do Governo do Estado e Secretaria de Segurança Pública para o combate ao coronavírus no sistema penitenciário e há um alto comprometimento dos servidores nessa missão. “Temos um alto comprometimento dos servidores penitenciários tanto da área operacional quanto das áreas administrativas do órgão na execução das ações diversas que temos implementado por determinação do Governo do Estado e SSP para resultados positivos no controle, prevenção e combate à Covid-19 no sistema penitenciário goiano. Os trabalhos são diuturnos, permanentemente. A atenção na saúde do servidor penitenciário e do custodiado, além da manutenção da ordem e disciplina nas unidades prisionais são prioridades da gestão” afirma ele.

O Comitê de Gerenciamento de Crise no enfrentamento contra a Covid-19 no sistema penitenciário goiano informou que, nessa semana, a testagem de temperaturas nas unidades prisionais será ampliada para os locais que ainda não começaram a desenvolver a ação. A DGAP administra 104 unidades prisionais em Goiás e tem uma população carcerária de 21.156 custodiados.

Fotos:DGAP

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Comunicação Setorial