Aulas do EJA para a população carcerária retornam presencialmente na Unidade Prisional de Acreúna

Por meio das aulas, os detentos têm a possibilidade de concluir os estudos do ensino fundamental e médio. Em Acreúna, 37 presos estão matriculados no curso, que tem duração de um ano

74

A Unidade Prisional Regional (UPR) de Acreúna promoveu, nessa semana, a retomada das aulas do sistema de Educação de Jovens e Adultos (EJA), direcionadas à população privada de liberdade. Ao todo, 37 presos participam do curso, que tem a duração de um ano. O próprio presídio possui uma sala de aula, local onde as aulas são ministradas.

Os custodiados foram divididos em duas turmas: uma com conteúdos relacionados ao ensino fundamental e a outra direcionada ao ensino médio. O tempo de duração do curso é o mesmo para a conclusão de ambos os níveis de escolaridade.

O diretor da UPR, Nathan Ferreira, explicou o critério para a participação dos presos no curso. Segundo ele, os detentos que demonstram interesse nos estudos passam por uma seleção e, em seguida, são matriculados nas aulas. “O acesso à educação básica é essencial para a ressocialização dos apenados”, destaca Nathan. Além disso, as aulas permitem a remição de pena à população carcerária, de acordo com o que estabelece a Lei de Execução Penal (LEP).

As aulas são ministradas por professores da rede estadual de ensino, por meio de uma parceria entre a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e a Secretaria Estadual de Educação. Para o retorno do curso, todas as medidas de prevenção contra a covid-19 estão sendo tomadas: distanciamento físico, uso de máscaras faciais e álcool em gel.

Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Comunicação Setorial