Andadores produzidos com mão de obra carcerária são doados para Secretaria de Saúde de Itumbiara

Os detentos que trabalharam na produção dos materiais serão beneficiados com a remição de pena por tempo de trabalho, conforme a LEP.

56

A Unidade Prisional Regional (UPR) de Itumbiara, pertencente à 4ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), realizou, nessa sexta-feira (19/11), a doação de 11 andadores para a Secretaria Municipal de Saúde. Os itens foram produzidos com mão de obra carcerária e serão distribuídos em hospitais da região.

Segundo o diretor da unidade, Renan Gonçalves, os itens foram produzidos utilizando materiais recicláveis. “O presídio visa a parte da ação social, tendo em vista que durante este programa de ressocialização foi possível incentivar a busca por novas oportunidades e capacitação profissional. Paralelamente também houve o incentivo para a reciclagem de materiais que seriam destinados ao lixo, evitando problemas ambientais”, ressalta o policial penal.

A produção dos andadores integra o conjunto de ações de reinserção social. “A execução penal também visa que o detento seja inserido na sociedade de forma digna, seja por meio do trabalho ou do estudo, e busca proporcionar novas oportunidades para os custodiados”, frisa Renan.

Gonçalves reitera que a novos andadores auxiliarão os pacientes a enfrentar as dificuldades diárias causadas pelo tratamento médico. “Além disso, os produtos finais de cada atividade são revertidos em benefícios para a sociedade”, afirma o diretor.

A partir dessa doação, a Secretaria de Saúde distribuirá os itens nos hospitais e lares que cuidam de idosos, que precisam diariamente desses objetos. Deste modo, a ação realizada pelo presídio ressalta a importante ligação entre o sistema penitenciário, a saúde pública e atividades de ressocialização.

UPR de Itumbiara

Localizada no distrito de Sarandi, a unidade prisional recentemente foi referência em outra atividade de ressocialização, com detentos participando de programas educacionais, como Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade (ENCCEJA). Provas realizadas com o objetivo de dar prosseguimento na vida acadêmica dos detentos, muitas vezes com oportunidade de ingresso no ensino superior.

Fotos: DGAP 

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária
Comunicação Setorial