Administração Penitenciária e Corpo de Bombeiros assinam termo de cooperação para empregar mão de obra carcerária

Serão geradas até 20 vagas de emprego para reeducandos dos regimes aberto e semiaberto. Eles vão desempenhar atividades de limpeza, construção e reforma de obra e pintura

174

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás assinaram, na manhã desta sexta-feira (15/10), um termo de cooperação técnica que vai resultar na geração de emprego para população privada de liberdade. O documento foi assinado pelo diretor-geral da DGAP, tenente-coronel Rasmussen, e pelo subcomandante-geral do Corpo de Bombeiros, Jailton Pinto de Figueiredo.

A parceria tem o propósito de empregar até 20 reeducandos do regime semiaberto e aberto, que vão desempenhar diversas atividades, como limpeza, construção e reforma de obra e pintura nas unidades do Corpo de Bombeiro Militar. A ação vai gerar oportunidades de trabalho e renda para os reeducados do Estado, além de proporcionar a remição de pena.

Os custodiados serão remunerados pela DGAP com um salário mínimo e receberão benefícios como alimentação e transporte, pagos pelo Corpo de Bombeiros. Eles serão selecionados pela Seção de Acompanhamento e Fiscalização de Apenados vinculada à Gerência de Produção Agropecuária e Industrial de acordo com o bom comportamento.

O diretor-geral de Administração Penitenciária, tenente-coronel Rasmussen, fez questão de reforçar que a política de ressocialização será fortalecida por meio desta e de outras parcerias firmadas com outros órgãos públicos estaduais. “Nós trabalhamos de forma integrada para garantir o cumprimento de todas as metas estabelecidas pelo governador Ronaldo Caiado e a geração de emprego para custodiados é uma das nossas prioridades”, disse. “Tornar o sistema penitenciário mais produtivo é uma missão e hoje estamos dando mais um passo para conquistar os resultados que almejamos”.

O subcomandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás, coronel Jailton Pinto de Figueiredo, evidenciou o benefício social do convênio. “Além de gerar economia para nossa instituição, que ao invés de efetivar um contrato com terceiros utiliza a mão de obra carcerária, o preso ganha experiência e uma oportunidade de ressocializar. Saio daqui com esse termo de cooperação assinado com muito orgulho”.

Estiveram presentes durante a assinatura do termo de cooperação o superintendente de Reintegração Social e Cidadania, Leoni Di Ramos Caiado, a gerente de Produção Agropecuária e Industrial, Alline Scaglia, e o policial penal Lucas Michael Nogueira.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária – DGAP
Comunicação Setorial